Hospital de Cirurgia Plástica
(18) 99629-4826 (18) 99751-2538 (18) 3323-5600
25 de janeiro de 2016

Cirurgia de Orelhas de Abano

A cirurgia de orelhas de abano, denominada otoplastia entre os profissionais de cirurgia plástica, é o procedimento para corrigir um problema que acomete algumas pessoas, que nascem com as orelhas afastadas do crânio, proeminentes, daí serem chamadas “de abano”.

Pratica-se a cirurgia de orelhas de abano para minimizar deformidades, corrigir a forma o tamanho ou a angulação da proeminência. Orelhas de abano podem ter um grau mais leve ou mais grave e a cirurgia é baseada no grau de incômodo que o portador apresenta com elas.

No caso de se decidir por uma cirurgia de orelhas de abano, a idade mínima para esse procedimento está entre 6 e 7 anos de idade, fase em que não houve a finalização da formação das orelhas, situação em que uma cirurgia não irá interferir no decorrer de sua formação completa. Essa idade também coincide com a fase de alfabetização escolar, fase em que a criança pode ser incomodada pelo bulling.

Como é feita a cirurgia de orelhas de abano

Como toda e qualquer cirurgia plástica, a cirurgia de orelhas de abano deve ser feita em hospitais por profissionais especializados. A anestesia, em geral, é local, com sedação, sendo feita uma incisão atrás da orelha, seguindo a dobra natural da pele.

O excesso de pele é retirado e, em seguida, é feito o ligamento da cartilagem, para torná-la flexível. Alguns casos exigem também retirada de partes da cartilagem, para redução da orelha.

Após o procedimento, são feitos pontos de fixação, para manter a nova anatomia da orelha, e o fechamento da pele. Os pontos, em geral, são internos e absorvíveis, não precisando ser retirados. A cirurgia tem duração média de uma hora.

Após a cirurgia, o paciente precisa ficar internado entre oito a doze horas, dependendo do seu caso específico, para acompanhamento médico. O curativo feito na sala de cirurgia deve ser trocado após um período de 24 a 48 horas da cirurgia, no consultório, pelo médico, que irá verificar a necessidade ou não de novo curativo. Caso haja necessidade, o responsável pelo paciente será treinado para isso.

O paciente também precisará usar uma faixa de tecido compressiva, que deve ser retirada apenas para o banho, sendo utilizada 24 horas por dia, pelo período de um mês, para ajudar na fixação da nova anatomia da orelha.

Pós-operatório da cirurgia de orelhas de abano

O paciente recebe uma prescrição de analgésicos, mas geralmente não sente dores, apenas uma sensação de incômodo. Se apresentar dores mais fortes, o médico deverá ser consultado para examinar e orientar nos procedimentos.

A orientação médica é para o paciente evitar coçar a região operada, já que a pele fica muito mais sensível e, devido ao inchaço, um simples arranhão poderá sangrar ou levar bactérias, provocando infecção do local. No pós-operatório pode ocorrer inchaço e vermelhidão no local da cirurgia, mas esse problema será sanado aos poucos, juntamente com a cicatrização.

Nas crianças, dependendo do tipo de correção e em havendo maior inchaço, a recomendação é permanecer pelo menos uma semana sem frequentar a escola, evitando o risco de traumas em brincadeiras. Casos mais simples podem demorar três dias sem aulas. Nos adultos, dois dias, em média.

As atividades físicas devem ser leves nesta fase, principalmente para evitar qualquer trauma no local operado.

No caso do paciente usar óculos, o seu uso é liberado até por cima do curativo, devendo ser preso com esparadrapo na faixa, devendo-se tomar cuidado para não ser muito apertado. Esse cuidado deve ser tomado até a cicatrização total.

Nesse tipo de cirurgia, as cicatrizes ficam escondidas na parte posterior da orelha, em sua junção com o crânio. Em alguns casos, que exigem incisão na parte da frente da orelha, a cicatriz deve ficar escondida na dobra natural da pele. No entanto, acontecem casos de surgimento da queloide, uma cicatriz não muito estética.

O resultado final da cirurgia de orelhas de abano só pode ser avaliado 6 meses após o procedimento. Na retirada do curativo, cerca de 60% da proeminência estará reduzida, mas ainda há vermelhidão e inchaço, situação normal para o pós-operatório.

A orelha é corrigida de imediato, mas sua posição só permanece no local definitivo com o passar do tempo.

Deixe um comentário
Você também pode gostar
Mamas firmes para sempre?
+
Mamas firmes para sempre?

A cirurgia da primeira-dama Michelle Bolsonaro nas mamas fez crescer o interesse pela intervenção e ampliou uma questão: qual a duração do material? Por Giulia ...

4 de fevereiro de 2020
Medidas de segurança implementadas pelo HFDG CIRURGIA PLÁSTICA para evitar a disseminação do COVID-19
+
Medidas de segurança implementadas pelo HFDG CIRURGIA PLÁSTICA para evitar a disseminação do COVID-19

1 – Sem filas – Pacientes agendados com horários espaçados! Como já sabemos, o Coronavírus (covid-19) é transmitido através de contato com pessoas ou ...

19 de março de 2020
Cirurgia Plástica nas Pálpebras
+
Cirurgia Plástica nas Pálpebras

  Com o passar dos anos, os nossos olhos também envelhecem e a Cirurgia de Pálpebras passa a ser a alternativa mais eficaz. É a forma ideal para acabar de ...

26 de novembro de 2019