Hospital de Cirurgia Plástica
(18) 99751-2538 (18) 3323-5600
16 de maio de 2018

É possível corrigir assimetria mamária?

Nas mulheres os seios nunca são totalmente idênticos. Normalmente, um seio é um pouco maior que o outro, ou ainda, os seios podem se posicionar em diferentes ângulos, possuir diferentes características, como volume e forma, o que é perfeitamente normal.

O nosso corpo não é perfeitamente simétrico, mas na maioria das vezes isso é imperceptível. Entretanto, algumas mulheres estão muito longe de possuírem seios com variações compreendidas dessa forma. Possuem mamas assimétricas em graus tão significativos que seu dia-a-dia e sua autoestima são afetados de maneira significativa.

E até mesmo pequenas assimetrias podem gerar imenso desconforto ou incômodo às mulheres.

Causas da Assimetria Mamária

São vários os fatores que podem causar a assimetria das mamas, como hereditariedade, amamentação, doenças e traumas. Essa assimetria mamária pode acontecer em graus variados. Inclusive, uma mama pode se desenvolver e a outra, não! Diferença essa que fica aparente, inclusive, sob as roupas.

As mamas podem apresentar volumes diferentes, pode existir variação na tensão da pele – fazendo com que uma mama fique mais firme do que a outra, e também pode existir diferença na localização dos mamilos. Ainda, apenas uma ou as duas mamas podem estar mais lateralizadas ou juntas, uma mais abaixo que a outra, ou com formato diferente, entre outras situações.

Quando ocorre a Assimetria Mamária

Muitos casos ocorrem na puberdade, quando a mulher não desenvolve o tecido mamário de forma completa e minimamente simétrica, em decorrência de alterações hormonais desconhecidas ou até mesmo de brotos mamários diferentes. Mas atenção, a assimetria das mamas em mulheres ainda na fase da puberdade, ou seja, com o corpo ainda em desenvolvimento, precisa ser analisada com toda a cautela. Isso porque o crescimento das mamas não ocorre ao mesmo tempo e ainda não estão finalizados.

Portanto, é necessário que se aguarde o tempo de desenvolvimento corporal completo da mulher, para identificar a existência ou não da assimetria das mamas e em que grau ocorre tal assimetria. Atingida a maturidade corporal e verificada a existência da assimetria mamária, a intervenção cirurgia poderá ser realizada tranquilamente, pois não haverá riscos de perda do resultado em função da continuidade do crescimento mamário.

A amamentação também é uma das causas da assimetria mamária. Principalmente nos casos onde o bebê acaba se alimentando em apenas uma das mamas. Nessa fase, há também o risco da mastite (inflamação das glândulas mamárias) que atinge 1 em cada 10 mulheres que amamentam no mundo, e por consequência poderá vir a desencadear um tipo de assimetria nas mulheres.

Além disso, a assimetria pode surgir em função de determinadas doenças, como o câncer de mama.

Os homens também sofrem com a assimetria mamária, normalmente em razão do transtorno conhecido como ginecomastia.

Quem pode se candidatar a Cirurgia de Correção da Assimetria Mamária?

A paciente ideal para se submeter a cirurgia de correção da assimetria mamária é a mulher que se encontra em boas condições de saúde e já atingiu o desenvolvimento pleno das suas mamas.

Pacientes que apresentam assimetria mamária adquirida, decorrente de patologias sérias, como o câncer de mama, necessitam de avaliação prévia por um médico especialista.

Quais os resultados podem ser esperados após a assimetria mamária?

A cirurgia de correção da assimetria mamária tem como objetivo deixar as mamas o mais próximo possível da igualdade ou simetria, buscando aproximá-las do formato considerado como “padrão” feminino, com aspecto mais natural.

Cabe ressaltar, que nos casos onde houver assimetrias acentuadas ou em decorrência de diferenças osteomusculares (parte óssea e muscular do tórax) existe a possibilidade de não se obter esse resultado na sua totalidade. Entretanto, essa avaliação necessariamente deverá ser realizada pelo seu cirurgião plástico.

Ressalta-se que o procedimento pode melhorar a confiança da mulher, deixando-a mais segura e com autoestima elevada.

Como é a Cirurgia de Correção de Assimetria Mamária?

A definição da abordagem cirúrgica dependerá da necessidade específica de cada paciente. Em alguns casos a simples colocação de próteses de silicone com volumes diferentes, já soluciona a assimetria. Em outros casos poderá ser necessária a redução de uma das mamas, o reposicionamento de um ou ambas as mamas, entre outras possibilidades. Sendo assim, a cirurgia irá sempre depender do tipo de assimetria existente, o que irá exigir uma técnica diferenciada em cada situação.

A Cirurgia de Correção de Assimetria Mamária tem duração entre 1 hora e 30 minutos até 4 horas. A anestesia pode ser local com sedação, geral ou peridural, o que dependerá não só da técnica cirúrgica a ser empregada, mas também da sua conversa com o médico anestesista. As incisões também são determinadas pelo procedimento a ser realizado, e são devidamente fechadas com as suturas apropriadas e curativo.

A recuperação

Em função dessa individualização dos procedimentos, após a cirurgia de correção da assimetria mamária a paciente poderá permanecer hospitalizada de 12 a 14 horas. Imediatamente após o procedimento, é normal as mamas apresentarem edemas (inchaços) e equimoses (roxos) devidos à própria cirurgia. Poderá existir a necessidade de utilização de drenos, que serão retirados entre 24 a 48h depois da cirurgia.

A retomada das atividades rotineiras ocorrerá em aproximadamente 15 dias após o procedimento, o que deverá ser questionado ao seu cirurgião plástico. Após o 2º mês é possível ter uma noção mais adequada dos resultados. O resultado final poderá ser visualizado no 6 mês após a cirurgia.

Deixe um comentário
Você também pode gostar
Mini Abdominoplastia: Pra quem se destina?
+
Mini Abdominoplastia: Pra quem se destina?

Já pensou em fazer uma mini abdominoplastia? Será que esta cirurgia plástica na barriga é realmente capaz de remover o excesso de pele? Sofrer com uma barriga ...

16 de junho de 2019
Colar a orelha do bebê com esparadrapo diminui a “orelha de abano”?
+
Colar a orelha do bebê com esparadrapo diminui a “orelha de abano”?

Não! Hábito ainda pode provocar irritações ou infecções na pele do bebê. É só o bebê nascer com a orelha um pouco mais saltada para fora que, logo na ...

27 de julho de 2019
Entenda o que é distorção da autoimagem
+
Entenda o que é distorção da autoimagem

É comum, principalmente em tempos de redes sociais, as pessoas se preocuparem cada vez mais com sua aparência, em estar sempre bonitas, com as medidas e formas ...

24 de maio de 2019